Skip to content

Leite de Barata é a nova Aposta de Cientistas como Suplemento Alimentar!

Já pensou se um dia você fosse ao supermercado e encontrasse na
prateleira uma bela embalagem tetra pak com os dizeres “Delicioso leite
de barata
”?! Tenho certeza que você se assustaria e aproximaria o rosto
da embalagem pra ter certeza de que estava lendo certo.



Mas saiba que isso não é tão loucura assim. Existe mesmo leite de barata e ele é, segundo os cientistas, extremamente nutritivo.
Tudo começou há mais ou menos 10 anos com a descoberta de uma espécie
de barata vivípara, ou seja, diferente de outras baratas, que põem ovos,
ela dá a luz a baratinhas já desenvolvidas. Consequentemente, ela
precisa amamentar a cria. Agora, durma com essa: uma barata que “dá de
mamar” pras baratinhas. Que cena linda… 😖
 

A espécie de barata analisada pelos pesquisadores produz cristais com os
quais alimenta os filhotes. A análise mostrou que eles contêm todos os
aminoácidos essenciais à alimentação humana, como um “superalimento”.
(Istock/Getty Images)

O que os cientistas descobriram é que os cristais de leite
desse inseto tem 3 vezes mais energia que a quantidade equivalente de
leite de vaca, além de ter muito mais proteína, bem como gorduras e
açucares, sendo um alimento completo.

Mas, ordenhar baratas não é nada fácil. A novidade é que descobriram uma forma de desenvolver os cristais in vitro, o que tornaria possível a produção em massa desse suplemento altamente nutritivo.

Entretanto,
não há planos para a comercialização do produto, O QUE NÃO QUER DIZER
que, num futuro próximo, você não possa realmente se deparar com o tal
leite de barata à venda numa prateleira por aí. Como bem especulam os
cientistas e pesquisadores, os insetos serão parte integrante das nossas
dietas, principalmente se a indústria de alimentos não der conta da
demanda mundial.
Abaixo veja o vídeo com resolução atômica, mostrando o momento em que o tal “leite de barata” é expelido por um exemplar do inseto. É esta substância que os cientistas acreditam poder reproduzir em escala comercial no futuro:
 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *