Skip to content

Encontro de Zambelli com hacker da “vaza jato” foi um tremendo tiro no pé

Encontro de Zambelli com hacker da "vaza jato" foi um tremendo tiro no pé

Algumas coisas são difíceis demais de entender. Uma delas, agora, é a confissão que a deputada Carla Zambelli acabou de fazer, em coletiva de imprensa, confirmando que teve encontros com Walter Delgatti, conhecido como o “hacker da Vaza Jato”.

A deputada não só se encontrou pessoalmente com o indivíduo, como achou que ele poderia ser útil para o seu partido e o ex-presidente Jair Bolsonaro. Veja, abaixo, um trecho da sua declaração nesta quarta-feira:

“O que tenho de relação com o Walter é que o conheci saindo de um hotel. Ele vivia trocando de telefone, eu queria falar ao vivo. Nos vimos três vezes e conversamos sobre tecnologia. Uma vez, o ajudei a vir a Brasília, ele disse que teria provas e serviços a oferecer ao PL e o levei a Valdemar da Costa Neto. Fizemos uma reunião”.

E continuou: “Ele (Delgatti) se ofereceu para participar de uma espécie de auditoria no primeiro e segundo turno das eleições. Ele encontrou Bolsonaro, que perguntou se as urnas eram confiáveis. Nunca mais houve contato entre eles”.

Agora, leitores do Partido Brasil, analisem com sinceridade: como pode uma deputada federal que se diz aliada do presidente Jair Bolsonaro, achar que pode confiar no trabalho de um hacker que foi o responsável pela invasão de celulares de autoridades e investigadores da Lava Jato, fazendo com que através disso, da sua violação de dados, a operação inteira fosse posta em xeque, resultando daí, também, a libertação do atual presidente Lula?

Se não fosse pelos crimes cometidos por Walter Delgatti, Lula poderia ter continuado preso, e não seria hoje o presidente do país. Como alguém que prejudicou gravemente a maior operação de combate à corrupção do Brasil, poderia ser digna de confiança?

Como garantir, por exemplo, que Delgatti não estivesse querendo se aproximar de Bolsonaro e seus aliados, a fim de colher informações ou produzir algo capaz de incriminá-los no futuro, exatamente como pode estar acontecendo AGORA?

Sem dúvida, Zambelli deu um tremendo tiro no pé, e Bolsonaro, provavelmente por confiar na deputada, também foi induzido ao erro. Ambos, agora, poderão ser alvos de novas acusações, mesmo sejam frutos de narrativas, como por exemplo a ideia de que teriam planejado usar o hacker para atacar o sistema eleitoral.

Delgatti, por sua vez, não terá punição alguma se for novamente cooptado pelos donos do sistema corrupto. Assim como serviu para eles no passado, dando início à “Vaza Jato”, poderá servi-los novamente se tiver algo a dizer, ou fazer, que possa comprometer Bolsonaro e seus aliados.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *